No país, já são mais de 8,1 milhões de MEIs. Esses são profissionais que tiveram suas atividades legalizadas, podendo desfrutar de benefícios, como aposentadoria, auxílio-doença se for necessário, crédito com condições especiais, entre outros.

As obrigatoriedades fiscais também são facilitadas. Por exemplo, o microempreendedor individual não precisa emitir notas fiscais para pessoa física, tem um custo baixo para se manter regularizado e pode solicitar o auxílio de um contador apenas quando surgir alguma dúvida. Continue lendo o post e entenda se, afinal, o MEI precisa de contador.

O que é MEI?

É a sigla para microempreendedor individual — uma modalidade fiscal para profissionais autônomos regulamentados pela Lei Complementar n. 128/08, que possibilitou a formalização de empreendedores que atuam por conta própria.

O MEI foi criado no segundo semestre de 2009 e apresenta algumas limitações, como renda bruta anual de até R$ 81 mil (média de R$ 6.750 reais por mês). Também não pode ter sócios e permite a contratação de um funcionário.

Os trabalhadores que optarem por serem MEIs têm uma série de benefícios, dos quais é possível listar:

  • aposentadoria por idade ou invalidez;
  • auxílio-maternidade;
  • auxílio-doença;
  • facilidade para abrir contas bancárias e obter crédito;
  • emissão de notas fiscais;
  • impostos reduzidos e pagos em uma só guia.

O MEI precisa de contador?

De acordo com a regulamentação, não é obrigatório contratar os serviços de um contador ou de um escritório de contabilidade. Também não é preciso escriturar nenhum livro fiscal, contudo, ele não pode ser desorganizado quanto às suas finanças, principalmente nas questões que envolvem o faturamento.

O MEI, entre outras obrigações, precisa manter o arquivo de notas de compra de mercadorias, documentos relacionados à contratação do empregado contratado e canhoto das notas que emite, o que requer uma contabilidade informal, conduzida por ele mesmo.

Conheça o EmittePowered by Rock Convert

Quais benefícios o MEI tem ao procurar um contador?

A principal das vantagens é a organização, que traz mais benefícios para o empreendedor, uma vez que ele terá mais controle de suas finanças e um entendimento profundo do seu faturamento efetivo.

Em linhas gerais, o microempreendedor individual pode usufruir dos serviços contábeis para trazer mais agilidade (e segurança) para as declarações que deve fazer e os demais trâmites obrigatórios para a categoria.

Nesse caso, os serviços de um contador são indispensáveis para trazer mais profissionalismo às atividades do empreendedor. Além disso, algumas ações são facilitadas quando há o respaldo de um escritório de contabilidade, como empréstimos ou emissão do DECORE.

Por exemplo, até o dia 20 de cada mês, o MEI precisa enviar o Relatório Mensal das Receitas do mês anterior, o que exige o anexo das notas fiscais de compra e de serviços, além das notas fiscais emitidas.

Esse procedimento pode ser realizado pelo contador, o que proporciona mais agilidade e segurança e ainda permite que o profissional foque o trabalho em si, tendo a certeza de que a tarefa será desempenhada da melhor forma possível.

Para deixar claro, o MEI não é obrigado a contratar um contador, mas o seu acompanhamento facilita seu trabalho, evita problemas posteriores e proporciona mais segurança às atividades exercidas. O contador pode esclarecer dúvidas, indicar os melhores caminhos e ajudá-lo a crescer de maneira significativa.

Entendeu, por fim, se o MEI precisa de contador? Comente o que achou para que possamos produzir mais conteúdos interessantes para você.