Uma das dúvidas que muitos contadores enfrentam é sobre a precificação de produtos. Afinal, cada cliente tem uma demanda diferenciada, recolhe impostos diversos, estão inscritos em sistemas de tributação específicos e ainda contam com estruturas contábeis de acordo com o fluxo de caixa.

Para você não falhar nessa jornada, mantendo a satisfação dos seus clientes, elaboramos este post com quatro dicas imperdíveis sobre o assunto. Confira!

Por que a precificação de produtos é importante?

Sabendo-se que cada cliente traz uma demanda diferenciada, é inviável cobrar o mesmo valor para uma empresa de 100 funcionários, com um faturamento de R$ 10 milhões por ano com um número X de notas fiscais em comparação a outra que tenha 10 colaboradores, com rendimento anual na ordem de R$ 500 mil e Y de notas mensais.

Como cada caso é um caso, a precificação de produtos também precisa seguir essa linha de pensamento. Isso porque cada cliente vai exigir um determinado nível de atenção, de tempo dos seus funcionários e também sobre as características do mercado em que sua empresa de contabilidade está inserida.

Portanto, faça um preço justo e que esteja alinhado com as necessidades de cada cliente assim como das exigências contábeis existentes em cada situação. Para isso, veja as quatro dicas que selecionamos para que você faça uma precificação de produtos adequada.

1. Observe a concorrência

É fundamental analisar a realidade do mercado em que está inserido o seu escritório de contabilidade. Para você fazer uma precificação de produtos adequada, uma dica essencial é analisar os valores cobrados pela concorrência assim como os serviços de cada pacote.

Vale a pena buscar diferenciais para se destacar, como descontos e até mesmo vantagens que auxiliem na fidelização dos seus clientes.

2. Avalie os custos

Todas as empresas têm custos fixos e variáveis, e com as de contabilidade não é diferente. Pensando nisso, é importantíssimo você avaliá-los no momento de realizar a precificação dos produtos.

emittePowered by Rock Convert

Assim, analise criteriosamente o quanto as despesas correspondem e estabeleça a margem de lucro em cada serviço prestado.

Dessa maneira, faço um balanço do seu fluxo de caixa, valor gasto com salários, fornecedores, contas de água, luz, aluguel e variáveis, como matéria-prima e comissões. Ao saber das despesas, fica mais fácil controlar o fluxo de caixa, avaliando os custos operacionais.

3. Investimentos em treinamento

Para formar uma equipe altamente técnica e com qualidade, é preciso investir em treinamentos. Aliás, a capacitação deve ser constante, pois as leis tributárias e exigências de cada sistema estão sempre em mudanças.

Com a digitalização, o setor necessitou de muito investimento em treinamentos, ou seja, trata-se de um aspecto que deve ser considerado na hora de estabelecer os valores dos seus produtos.

4. Avalie o tempo de atendimento

Como já mencionamos, cada cliente necessita de um determinado tipo de atendimento. Alguns contam com demandas simples, enquanto outros mais complexas. É um ponto a ser analisado no momento de fazer a precificação de produtos.

Faça um monitoramento dos seus colaboradores e veja em que situações eles estão destinando mais tempo e atenção, podendo estabelecer pacotes diferenciados de acordo com cada cliente.

Seguindo as nossas dicas, certamente a sua precificação de produtos ficará dentro da realidade do mercado, fazendo com que seus valores estejam justos e alinhados com o crescimento de cada parceiro no dia a dia operacional.

E você, ficou com alguma dúvida? Então deixe aqui o seu comentário e participe da reflexão conosco!