Powered by Rock Convert

O que é GTIN? É a sigla para Global Trade Item Number, em inglês. Trata-se de um identificador controlado pela GS1, aplicado em matérias-primas e produtos finalizados.

É um tema relativamente novo, mas importante, principalmente se utiliza a internet para vender. dependendo do setor que atua é importante conhecer o tema e se adequar aos requisitos. Continue lendo o post, entenda o que é GTIN, sua importância e benefícios. Boa leitura!

O que é GTIN?

GTIN é um identificador destinado aos itens comerciais, dispostos abaixo dos códigos de barras. Os fabricantes imprimem esse código nas embalagens dos produtos para identificá-los de forma exclusiva para o mercado global.

Basicamente, o GTIN é aplicado para recuperação de informações pré-estabelecidas, abrangendo desde matérias primas até produtos finalizados. Ele é necessário para todos os produtos que detenham uma marca e para os aqueles anunciados no comércio. Os artesanais ou feitos sob medida também recebem o código, desde que sejam vendidos em larga escala ou comercializados por grandes varejistas.

Desenvolvido e administrado pela GS1, esse identificador é formado comumente por 13 dígitos, contudo há casos que também é formado por 8, 12 ou 14 dígitos. Anteriormente eram chamados de códigos EAN, os quais eram atribuídos a qualquer item, seja produto ou serviço que poderia ser precificado ou faturado em qualquer estágio da cadeia de suprimentos.

Como é formado o GTIN?

Basicamente GTIN é um termo “guarda-chuva” para representar todo um grupo de identificação conforme as estruturas concedidas pela GS1.

São quatro as formas de 4 formas de cadastro do código, de acordo com os exemplos e tabela abaixo:

  • GTIN-8: é aplicado no código de barras EAN-8;
  • GTIN-12: é aplicado no código de barras UPC-A;
  • GTIN-12: é aplicado no código EAN-13;
  • GTIN-14: é aplicado no código ITF-14.

GTIN-14 – Estrutura

  • Indicador
  • GTIN de itens contidos (sem dígito verificador)
  • Dígito Verificador
  • N1 N2 N3 N4 N5 N6 N7 N8 N9 N10 N11 N12 N13 N14

GTIN-13 – Estrutura

  • Prefixo GS1 de Empresa / Referência do item
  • Dígito Verificador
  • N1 N2 N3 N4 N5 N6 N7 N8 N9 N10 N11 N12 N13

GTIN-12 – Estrutura

  • Prefixo GS1 de Empresa / Referência do item
  • Dígito Verificador
  • N1 N2 N3 N4 N5 N6 N7 N8 N9 N10 N11 N12

GTIN-8 – Estrutura (atribuído 1 a 1)

  • Prefixo GS1-8 / Referência do item
  • Dígito Verificador
  • N1 N2 N3 N4 N5 N6 N7 N8

No Brasil, o responsável pela atribuição do código é o CNP – Cadastro Nacional de Produtos, entidade que armazena as informações de licenciamento do código. Além disso, mantém uma integração com o Cadastro Centralizado de GTIN (CCG), o banco de dados que armazena o conjunto de informações dos produtos que receberam o código GTIN.

Conforme a Nota Técnica 2017.001, desde o início de 2018, os produtos em circulação que tenham um código GTIN e que são descritos nas notas fiscais eletrônicas (NF-e e NFC-e) terão seus dados validados no CCG. O que exige dos donos das marcas dos produtos a atualização das informações cadastrais de seus produtos junto ao CNP pelo site cnp.gs1br.org.

Entre as informações que precisam estar no CCG estão:

  • GTIN e o tipo;
  • Marca;
  • Breve descrição do produto;
  • Dados referentes a classificação do produto como segmento, classe, subclasse etc;
  • CEST (se existir);
  • Peso e sua unidade de medida.

Qual a importância para o e-commerce?

No ambiente virtual, os canais digitais utilizam esses identificadores únicos para determinar a singularidade do item. Ou seja, se você tentou procurar um produto pela internet e não o encontrou por meio das palavras-chaves, o GTIN vai ajudar na solução. Os códigos gerados são amplamente aplicados no varejo (físico e virtual) para a identificação de produtos. Basta digitá-los no buscador e você verá diferentes opções de mais de um fabricante.

Conheça o EmittePowered by Rock Convert

O Google adotou mudanças que penalizam os e-commerces que não adicionarem o GTIN válido aos produtos vendidos ou anunciados. A medida vale principalmente para o Google Shopping, ferramenta que apresenta, aos usuários quando fazem pesquisas, ofertas com produtos relacionadas à palavra-chave pesquisada.

Quais as vantagens do GTIN?

Entender o que é GTIN é só o primeiro passo. Agora vamos as suas vantagens:

Unificação das informações

O GTIN é utilizado como um único código em que estão disponibilizadas as principais informações sobre o produto. Trata-se de uma forma eficiente, prática e amigável para validar, acessar e receber dados confiáveis, com eficiência, segurança e à prova de erros.

Facilidade de ser encontrado em pesquisas

Os benefícios são sensíveis principalmente para o e-commerce, o qual tem maior precisão das informações de cada produto vendido e facilidade para encontrá-los nos sites de pesquisa e marketplaces.

Além disso, algumas empresas já penalizam os produtos sem o GTIN. O Google Shopping, por exemplo, tornou obrigatório o código para o cadastro de novos produtos desde maio de 2016. A Amazon também solicita a identificação para maior controle de sua base de produtos.

Melhora a pesquisa nos buscadores

Quanto mais dados relevantes forem fornecidos, melhores as oportunidades que terá para apresentar os anúncios adequados aos usuários. Em um cenário em que os consumidores pesquisam bastante antes de concluir a compra, os códigos globais agem como dinamizadores para explorar a experiência do usuário, que encontra informações verdadeiras sobre o que procuram.

O produto passa a oferecer mais confiança, uma vez que ele corresponde exatamente o que o consumidor busca.

Gera mais impressões positivas

Voltando ao ao Google Shopping, com informações corretas sobre o item, as chances de obter boas impressões dos consumidores é maior. Isso porque a plataforma vê positivamente a aplicação do GTIN nos produtos, dessa forma também são maiores as chances deles serem apresentados aos usuários que fizerem buscas relacionadas ao item vendido.

Também gera a oportunidade de aparecer nos resultados de buscas orgânicas, nos sites parceiros do Google (rede de displays), Youtube e outras plataformas.

Gera mais conversões

Com mais visualizações no anúncio, maiores são as chances de conversões. Em primeiro momento o usuário pode até não comprar o produto, mas pode se aproximar mais da marca que o está vendendo. Fornecer ao Google o GTIN correto de um produto em seu feed é capaz de aumentar em até 20% a taxa de conversão.

Agora que já sabe o que é GTIN e seus benefícios é o momento de aplicá-lo em sua estratégia. Trabalhá-lo de forma eficiente garante não só o maior controle das operações, como também mais oportunidades de expandir os seus negócios. A maioria das marcas já se valem das informações do código e entendem que ele é fundamental para ampliar o potencial de vendas.

O conteúdo que leu foi útil? Comente o que achou, assim podemos criar mais postagens interessantes para o seu negócio.

Conheça nossas redes sociais!