Emitir notas fiscais é um processo essencial para qualquer empresa, seja ela pequena, média ou grande, pois é somente assim que as vendas de produtos ou prestações de serviços podem ser concretizadas. Porém, o procedimento de emissão do documento fiscal exige muita atenção, já que um pequeno erro pode significar a rejeição da NF-e (nota fiscal eletrônica).

Com a nota fiscal rejeitada pela SEFAZ (Secretaria de Estado da Fazenda), o documento não é válido. Mas, apesar da rejeição, existem algumas medidas que podem ser tomadas para solucionar os erros cometidos e que acabam gerando esses problemas com a NF-e.

Deseja saber mais sobre a nota fiscal rejeitada? Continue sua leitura!

Saiba qual a importância de manter o monitoramento constante sobre o fluxo de notas fiscais

Fazer um gerenciamento das notas fiscais eletrônicas é essencial para manter um controle eficiente sobre a emissão das NF-es. Para que isso seja possível, é necessário utilizar um software de emissão. Isso torna o processo automatizado e a taxa de erros diminui bastante, sendo essa a grande vantagem do uso da tecnologia.

Veja quais as situações causam nota fiscal rejeitada

Uma nota fiscal eletrônica pode ser rejeitada por algumas situações específicas. A maioria delas é causada por erros contidos nas informações enviadas ao Fisco. Veja abaixo quais são os problemas que causam a rejeição das NF-es e saiba como proceder em cada situação!

CNPJ inválido

Um dos maiores erros ao emitir o documento é inserir CNPJ inválido. Caso apareça uma mensagem de rejeição 207, o CNPJ do emissor não é considerado válido. Já se aparecer o erro 208, é o CNPJ do destinatário que está sendo considerado inválido pelo sistema. Para ambos os casos, o erro pode estar associado ao tamanho ou à quantidade de números, visto que o CNPJ sempre apresenta 14 caracteres.

Além disso, o posicionamento dos números pode estar incorreto, ou o dígito verificador estar errado. Para solucionar esse problema, basta verificar o CNPJ do emitente e do destinatário, consultando o número no site da Receita Federal para confirmar se há informação inconsistente.

emittePowered by Rock Convert

Empresa não registrada

Outros casos de rejeição ocorrem quando a empresa não é registrada no sistema. A numeração 203 é uma das mais comuns e indica que a empresa emissora não está habilitada para fazer a emissão de notas fiscais. Se isso acontecer, é preciso ir até a Secretaria da Fazenda da cidade ou entrar em contato pela internet para fazer as correções necessárias ou solicitar a permissão para emissão.

Duplicidade

A duplicidade também acontece com muita facilidade. O erro aparente é o 539, e a diferença entre as duas NF-es emitidas é a chave de acesso. Para resolver esse problema, é necessário verificar:

  • Os dados da série;
  • Os números;
  • Os valores;
  • As datas de emissão.

Logo após, é preciso clicar em sincronizar a nota e então tentar aprovar novamente.

Inscrição estadual

O erro 234 indica uma inconsistência na Inscrição Estadual. Esse entrave ocorre quando são inseridos números incorretos, o que resulta em não vinculação a um CNPJ ativo. Nessa situação, é importante averiguar rapidamente o número de inscrição informado para então reenviar a nota fiscal.

Principais diferenças entre uma nota fiscal rejeitada e nota fiscal denegada

A nota fiscal rejeitada é diferente da denegada. A NF-e é denegada quando uma das partes tem pendências fiscais com a Secretaria da Fazenda. Já a NF-e é rejeitada por erro de dados e pode ser consertada em uma segunda tentativa.

Enfim, a nota fiscal rejeitada pode ser corrigida e submetida novamente. A numeração a ser utilizada pode ser a mesma ou pode ser substituída por uma nova, isso devido ao fato de que o documento fiscal eletrônico rejeitado não fica na base de dados de NF-es da Secretaria da Fazenda.

Gostou do nosso post sobre nota fiscal rejeitada? Compartilhe este conteúdo no Facebook e Instagram para que os seus amigos fiquem por dentro do assunto!