Home / Contabilidade

O que é NFC-e? Como funciona e quais as vantagens?

nota fiscal do consumidor

A modernização nos negócios é constante na atualidade, substituindo documentos e papeladas por arquivos digitalizados e muito mais seguros. 

Este é o caso da Nota Fiscal do Consumidor eletrônica (NFC-e), que já foi regularizada em todos os estados do Brasil. 

O último a aderir ao documento foi Santa Catarina, que implementou essa opção para o varejo em abril de 2021.

Os cupons fiscais e as notas fiscais de venda ao consumidor podem ser substituídas no varejo, por este modelo mais simples. Quer saber mais sobre como funciona a NFC-e neste processo? Explicaremos hoje, acompanhe!

Programa para emitir nota fiscal: saiba como escolher o ideal!

O que é uma NFC-e?

A NFC-e é uma nota destinada ao consumidor final, geralmente emitida pela empresa varejista. 

O documento registra transações comerciais e possui validade fiscal para comprovar a regularidade da venda.

Na prática, a criação desse modelo tem como intuito substituir os tradicionais cupons fiscais, por opções eletrônicas emitidas automaticamente.

No momento da venda, embora o documento seja digitalizado, é fundamental imprimir a versão DANFE da NFC-e. 

O estabelecimento possui a obrigação de fornecê-lo ao consumidor assim como o cupom tradicional. 

Qual a diferença entre NF-E e NFC-e?

Embora apresentem similaridades na digitalização, a NFC-e nem sempre pode ser utilizada em algumas transações. 

Ela possui validade somente para o consumidor final, enquanto a NF-e pode ser utilizada em uma gama maior de vendas.

O DANFE da NFC-e também costuma apresentar um formato simples em relação ao das notas fiscais eletrônicas.

Já em relação à impressão, a NFC é mais prática porque é gerada por um software próprio. Não é necessário inserir uma série de dados fiscais todas as vezes que for emitir um documento como este.

Consequentemente, o processo de impressão é mais simples e não há a necessidade de equipamentos mais caros.

O que é NFC-e em contingência?

Quando não é possível se comunicar com o órgão responsável pela autorização da NFC, é comum que ela fique em contingência, ou seja, impossibilitada de imprimir seu DANFE.

Cada estado do país possui regras diferentes nessas circunstâncias. Em alguns casos, é possível realizar a emissão de maneira offline, onde o emissor armazena o arquivo xml e o envia para a administração fazendária em até 24h após a emissão.

Quem precisa emitir?

Cada estado possui uma regulamentação diferente em relação à obrigatoriedade da emissão de uma NFC-e. Assim, vale buscar no portal de sua região as normas que regulam essas emissões.

Geralmente, o documento é destinado a negócios varejistas, como supermercados, padarias, papelarias e outros. 

varejo e nfc-e

Em São Paulo, por exemplo, as empresas podem optar pelo SAT para emitir documentos como o CF-e, utilizar cupons fiscais ou optar pela NFC-e como substitutos, conforme sua preferência.

Quais as vantagens de emitir nota fiscal?

A emissão da NFC-e não só é mais prática e econômica para o negócio, como também oferece diversas vantagens ao ser entregue ao consumidor. Algumas delas são:

Vale ressaltar que, sempre que possível, escolher um emissor de notas fiscais pode te auxiliar no processo de regularização. Geralmente, realizar as atividades tradicionalmente demanda mais tempo com preenchimentos e outras burocracias.

O que é preciso para emitir nota fiscal do consumidor eletrônica?

Afinal, o que é necessário para que uma organização adote a emissão de NFC-e no lugar dos cupons fiscais? Geralmente, o processo para a utilização desse documento requer:

  • Computador, para registros, consultas e gerenciamento de notas;
  • Conexão com a internet, para a comunicação com a administração fazendária;
  • Impressoras que não sejam fiscais;
  • e-CPNJ ou e-NF-e (certificado digital);
  • Um sistema que emita NFC-e, seja ele do próprio estado ou não;
  • CSC ou Código de Segurança do Contribuinte: é possível solicitá-lo no SEFAZ de sua região;
  • Inscrição estadual de sua empresa.

Ressaltamos que o processo, após configurado, proporciona emissões muito mais práticas no dia a dia. Os documentos são em formato digital, portanto armazenados no dispositivo, e na prática, o cliente recebe apenas a versão auxiliar da NFC-e.

Como emitir NFC-e?

Como a emissão desse documento representa apenas informações simplificadas, que são entregues no DANFE, os custos são menores. 

Isso porque o processo não demanda equipamentos de impressão específicos, podendo ser feito em qualquer máquina de impressão. 

Tendo todos os materiais que listamos, basta realizar sua emissão pelo software de notas que a empresa possui. O Emitte, por exemplo, se trata de um programa extremamente simples para a emissão desses documentos.

Além disso, o que garante a legalidade da nota mesmo com um processo de emissão simples é a assinatura pelo certificado digital. 

Quando devidamente assinada, a NFC-e é enviada para aprovação no SEFAZ, e, uma vez aprovada, possui toda a validade fiscal necessária. 

Rejeição da NFC-e: o que fazer?

Quando as informações são inseridas indevidamente ou os dados apresentam inconsistência, é comum que o SEFAZ não autorize sua emissão.

Nessas circunstâncias, o ideal é buscar o possível erro e corrigi-lo rapidamente para a aprovação e finalização da venda. 

O erro pode acontecer, por exemplo, quando o NCM ou código ICMS do produto é inserido com erros. O órgão responsável pode identificá-los facilmente, bloqueando a emissão do documento desejado. 

Para evitar rejeições e congestionamentos no caixa, o ideal é estar atento às informações e automatizar preenchimentos sempre que possível. 

Já existem ferramentas capazes de facilitar essas inserções de dados, de forma que os profissionais economizam tempo e evitam retrabalhos nas emissões de NFC-e. 

Emita NFC-e de forma descomplicada e rápida com o Emitte!

emissor de notas fiscais do consumidor eletrônicas

Conclusão

A digitalização dos documentos fiscais acompanha desde os prestadores de serviços até os estabelecimentos varejistas atualmente. 

Com o NFC-e, é possível economizar e acessar as vendas de forma centralizada, de modo que a emissão é muito mais rápida, facilitando também a vida do consumidor.

Não deixe de aproveitar as inovações também em seu negócio e explorar soluções do Emitte, que agilizam ainda mais a inserção das informações em sua NFC-e.


Você pode se interessar por: Quando pedir crédito para MEI

Equipe Emitte

Somos apaixonados em aprender, ensinar e compartilhar conteúdo de qualidade para que o empreendedor continue evoluindo. Acreditamos que juntos podemos alcançar o sucesso através do conhecimento!

Pressione ESC para sair