Ao optar por se formalizar como MEI, o microempreendedor pode ter de lidar com alguns desafios peculiares, como escolher um sistema de emissão de notas fiscais.

Mas o lado bom dessa formalização é que o enquadramento não é tão burocrático quanto outras formas de empreendimento. Além disso, depois da Lei Complementar 128/2008, o microempresário pode usufruir, de forma fácil e por um valor mais baixo, de garantias dadas a quem é celetista.

Contar com um sistema de emissão de notas fiscais que tenha as funcionalidades adequadas para o seu negócio pode gerar uma série de benefícios.

As notas fiscais são usadas para fins de cálculo de tributos e impostos, evitando que a empresa cometa erros que podem ocasionar crimes fiscais e gerar muitos problemas e prejuízos e comprometer o pleno funcionamento do negócio. Isso ocorre pelo fato de que um bom programa realiza a emissão de forma correta, reduzindo de forma considerável as possibilidades de alguma falha ocorrer.

Que tal começar a diminuir uma das dificuldades encontradas pelo MEI, na sua atuação, e se informar sobre como escolher o melhor emissor para sua empresa? Acompanhe o artigo, que daremos dicas para sua decisão!

Alguns desafios do MEI

O MEI deve ter atenção às exigências feitas por lei e saber como se enquadrar no CNAE. Além disso, ao exercer suas atividades no ambiente domiciliar, é importante saber o que está proibido e se ele deve ter outros registros, como o do Corpo de Bombeiros.

Também, é importante fazer a contribuição mensal, a declaração anual e ter cuidado para não ultrapassar o teto, que fará a empresa ser classificada em outro regime tributário.

Vantagens da nota fiscal para o negócio

Para emissão de notas fiscais, o MEI deve ter seu CNPJ. Em muitos estados, já é exigido um certificado digital, pois ele valida todas as informações constantes e a assinatura do empresário.

Passar credibilidade

O trabalho adquire um aspecto mais formal, o que passa credibilidade e aumenta a confiança dos clientes. Assim, o microempresário tem mais chances de conseguir uma compra ou um serviço.

Aumentar a produtividade

O sistema informatizado facilita o preenchimento das notas, deixando os dados mais fidedignos e diminuindo os erros por descuido. Isso faz com que a produtividade do gestor seja mais alta e ele tenha tempo para outras obrigações.

Controlar melhor o trabalho

É possível ter uma visão mais concreta dos serviços realizados e dos produtos vendidos. Dessa maneira, o MEI tem possibilidade de controlar melhor o desempenho da empresa.

Ter o armazenamento mais organizado

Como os dados ficam todos no programa, a empresa tem mais organização e pode consultar informações antigas com facilidade. Além disso, os dados não correm o risco de ser perdidos.

Estar em dia com o Fisco

Primeiramente é importante saber o significado do termo Fisco. O Fisco é uma autoridade fazendária que controla os pagamentos de impostos em todas as esferas tributárias no país. É comumente conhecido como o órgão fiscalizador na esfera federal, atuando na área municipal e estadual também. 

Seu principal objetivo é controlar toda a legislação tributária do país, assim estando intimamente ligado a empresas que pagam seus tributos, pois ainda existe um número considerável de empresas que sonegam impostos.

O Fisco é um órgão que trabalha de forma rígida na fiscalização dos pagamentos de tributos. 

A automatização na emissão de notas fiscais ajuda a empresa a seguir as regras tributárias e estar em dia com a Receita Federal e as secretarias de Fazenda. Assim, o pequeno e médio empresário, por exemplo, evita cair em sonegação de impostos por erros de cálculo.

Dicas de como escolher um sistema de emissão de notas fiscais

Existem emissores de muitos tipos e nem todos são os mais recomendados para quem é MEI. Isso porque, muitas vezes, eles são desenvolvidos pensando no grande empresário, que paga tributos mais altos e tem necessidades mais rigorosas. Além disso, o microempreendedor individual nem sempre terá de fazer a emissão de muitas notas fiscais mensalmente, ao contrário do grande empresário.

Com isso, o MEI acaba pagando por serviços que não utilizará, o que torna a escolha injusta, ao ter de desembolsar o mesmo valor de players maiores e poderosos.

Para evitar isso, é recomendado que o microempresário observe alguns aspectos, como:

emitte-testePowered by Rock Convert

Analisar as necessidades

É prudente verificar quais as necessidades da própria empresa e examinar se o emissor pode atender às expectativas do gestor. É importante notar que, algumas vezes, muitas facilidades oferecidas podem não ser necessárias ao MEI e acabam encarecendo a mensalidade. Assim, antes de fechar um plano, tenha convicção da utilidade dele.

Pesquisar o custo

O custo mensal fixo pode ser vantajoso para aqueles empresários que precisam emitir centenas de notas fiscais. Já o MEI, com frequência, precisa emitir as notas em poucas quantidades. Com isso, você, empreendedor, deve se perguntar: “O valor que eu vou pagar valerá, realmente, a pena? Ou será que, na mensalidade, estão embutidos serviços dos quais não vou precisar?”.

Verificar a possibilidade de suporte e manutenção

Um histórico de reclamações de outros usuários sugere que o emissor não consegue prestar um bom atendimento aos clientes. Uma empresa séria precisa ter um serviço de suporte técnico que oriente o assinante quanto às dúvidas e que ofereça manutenções, caso sejam inevitáveis. Não adianta adquirir um software que venha com diversas funções, mas que deixe o empreendedor na mão quando ele não sabe como resolver um problema.

Certificar a automação

Outro fato importante é ter certeza de que existe automação na emissão e no envio das notas, para que o MEI não precise ter trabalho desnecessário. A expedição automática do XML (que tem valor jurídico e fiscal) ao cliente deve estar presente, bem como a facilidade de remessa ao contador, já que ele é peça essencial para que o empreendimento esteja alinhado às exigências fiscais.

Analisar a segurança dos dados

O sistema utilizado precisa ser em nuvem, em vez de servidor próprio, para que exista a segurança de que os dados não sejam perdidos. O emissor de notas fiscais também precisa garantir o backup, para o caso de a empresa precisar dele.

Verificar a disponibilidade do sistema

O controle do empresário fica muito mais fácil quando o programa permite que seja acessado por qualquer aparelho com acesso à internet. Dessa forma, o MEI consegue verificar novas compras e realizar outras emissões, em tempo real, mesmo longe do local.

Ver a facilidade no cancelamento das notas

Nas situações em que, por algum motivo, o cliente cancela a compra, como chargebacks, a nota precisa ser cancelada. Um sistema que possibilite essa ação, sem grande burocracia, facilita o dia a dia da empresa.

Com todas essas vantagens apresentadas e dicas de como escolher um sistema de emissão de notas fiscais, você já deve estar preparado para fazer uma assinatura de um emissor mais condizente com suas expectativas.

Aqui, no Emitte, temos um programa com custo justo e prático de usar, sendo ideal para MEIs e outras empresas do Simples Nacional.

Você sabe o que é e como Funciona o Emitte?

O Emitte é um emissor de nota fiscal eletrônica totalmente online, substituindo o do governo e habilitado para emitir NF-e, NFC-e, NFS-e, CT-e, MDF-e, CT-os e Nota do Produtor Rural.

Além de ser o emissor mais completo do mercado, com o Emitte você só paga pelo que usar, sem burocracia, basta inserir seu certificado digital e começar a emitir suas notas fiscais.

Que tipo de empresa pode usar o Emitte?

Empresas de todos os regimes tributários que necessitam emitir um dos tipos de notas NF-e, NFC-e, NFS-e, CT-e, MDF-e, CT-os e Nota do Produtor Rural.

Em quais estados do Brasil o Emitte funciona?

Em todos os estados do território nacional, sendo para emissão de notas de produtos e transportes. Para nota de serviços verifique se sua cidade está homologada.

Vou precisar de certificado digital para usar o Emitte?

Sim, sua empresa precisa de um certificado digital A1(recomendado) ou A3. O certificado digital é o que assegura a validade da nota fiscal e de outros documentos eletrônicos. É emitido por autoridades certificadoras em diferentes padrões.

Se você ainda não tem um certificado digital, pode adquirir ele em nossa certificadora gratuitamente através de nosso plano anual ilimitado ou de forma avulsa consultando um de nossos atendentes no chat.

Posso Emitir Nota Fiscal mesmo sendo MEI?

De acordo com a Resolução n.º 140 de 2018 do CGSN, um microempreendedor individual é dispensado da emissão de nota fiscal quando seu cliente for uma pessoa física. No entanto, caso esse mesmo negócio seja realizado com uma pessoa jurídica, existe sim a obrigatoriedade da emissão.

Emitir a nota fiscal gera seriedade, confiabilidade e segurança para sua empresa e seu cliente, afinal, ser MEI exige esforço e compromisso.

Mesmo trabalhando sozinho, é possível ter total controle sobre todos os aspectos de seu negócio, poupando tempo e dinheiro.

É possível habilitar sua empresa para emitir nota fiscal na maioria dos estados brasileiros.

Gostou do que leu? Aproveite e entre em contato com nossos consultores e veja como fazer sua adesão e conheça a agilidade de nosso sistema de emissão!