Empresas que atuam no setor de logística, entre outras obrigatoriedades, precisam saber o que é e como emitir MDF-e. Pode ser uma sigla nova para os empreendedores que estão buscando se profissionalizar, mas é extramente importante para trazer mais agilidade para as empresas que transportam cargas.

Para explicar em detalhes o que é, seus objetivos e como emitir, preparamos este post que pode ajudá-lo bastante em suas dúvidas. Acompanhe a leitura!

O que é MDF-e?

O MDF-e (Manifesto de Documento Fiscal eletrônico) é o padrão adotado de documentação digital único, desenvolvido para simplificar a burocracia existente no sistema de transporte de cargas. Ele veio para substituir o sistema impresso, a exemplo da CL-e e do Manifesto de Carga Modelo 25, e sua existência ocorre apenas no âmbito digital, veiculando os documentos fiscais transportados à carga.

É obrigação das empresas de todo o país que prestam serviços de transporte emitir um MDF-e — tanto para aquelas que têm sua frota própria quanto para as que têm frotas arrendadas, alugadas ou contratadas.

O intuito é não só agilizar o cadastro em lote dos documentos fiscais da empresa e do transporte, mas também simplificar as obrigações como um todo. O tempo de fiscalização nas vias se torna menor, uma vez que o agente governamental, independentemente da sua esfera, poderá verificar todos os documentos em um só local. Isso agiliza a operação e reduz o tempo de entrega.

Com a unificação dos processos, o MDF facilita as atividades dos gestores e dos órgãos reguladores, já que o Fisco pode acompanhar as operações comerciais em tempo real.

Como emitir MDF-e?

Quando o Conselho Nacional de Política Fazendária instituiu o MDF-e, orientou que a SEFAZ (Secretaria da Fazenda) de cada estado definisse suas próprias regras quanto ao uso e às demais obrigatoriedades do sistema. Dessa forma, é necessária a pesquisa prévia junto à SEFAZ para avaliar as condições de acordo com as características da empresa.

Em regra, para emitir o documento eletrônico, é preciso:

  • registrar o CNPJ no Cadastro Nacional de Emissores, o CNE;
  • credenciar a empresa nos estados em que precisará emitir o MDF-e;
  • emitir a nota na Secretaria da Fazenda do Estado.

Como o governo não disponibiliza um sistema para a sua emissão, é necessário contar com um software que efetue esse procedimento, como a solução oferecida pela Emitte, que, além do MDF-e, permite a emissão de notas fiscais eletrônicas nas modalidades NF-e (Nota Fiscal eletrônica), NFC-e (Nota Fiscal ao Consumidor), NFS-e (Nota Fiscal de Serviço eletrônica) e o CT-e (Conhecimento de Transporte eletrônico).

Tudo pode ser feito de forma automatizada, gerando relatórios que auxiliam o gestor a levantar dados sobre o negócio, o seu histórico, entre outras informações que ajudam na tomada de decisões. Quando ele centraliza essas informações fiscais, facilita sua gestão, em especial no que diz respeito ao setor financeiro e fiscal da empresa.

emitir mdf-e agoraPowered by Rock Convert

Como visto, o MDF-e tem o intuito de facilitar o controle e reduzir os trâmites burocráticos com os quais as companhias de logística precisam lidar. Agora que você já sabe como emitir MDF-e e os benefícios de um software para esse fim, não pode deixar de emiti-lo para não estar sujeito a multas e sanções.

Gostou do que leu e quer se aprofundar mais? Então, confira nosso post que trata da emissão de NFC-e. Boa leitura!