Nunca antes o agronegócio se mostrou tão tecnológico e profissional. Atualmente, são empregados recursos em todas as fases da produção, que asseguram maior produtividade e, por que não, lucratividade? Daí a importância de adotar práticas, como calcular o custo de produção agrícola, a fim de tornar os processos mais eficientes.

Continue lendo o texto, entenda a importância do cálculo e como conduzi-lo de acordo com a sua realidade. Acompanhe!

Por que é importante controlar os custos da produção agrícola?

Em geral, apurar, de forma mais precisa, as despesas relacionadas à cadeia é indispensável, independentemente do porte do empreendimento. A partir desse conhecimento, é possível entender a real lucratividade do negócio e saber se vale a pena conduzir outra cultura ou tomar decisões para o futuro da propriedade. O produtor tem, em suas mãos, um poderoso aliado, que permite ter uma ampla visão do seu negócio.

Ocorre que, muitas vezes, o gestor avalia apenas a expansão da produção, o que é algo positivo, mas há problemas nessa postura. Isso porque, geralmente, não se leva em consideração os gastos que se tem para produzir 50 ou 80 sacas por hectare. Talvez essas 30 sacas a mais desprendam tantos recursos que acabem por gerar prejuízo ao invés de lucro.

Como calcular o custo de produção agrícola?

Inicialmente, o cálculo do custo de produção agícola não deve ser pautado pela saída de recursos, mas, sim, por sua aplicação na lavoura. A metodologia leva em conta os custos fixos e variáveis, que incluem despesas administrativas, pagamentos de funcionários, transporte, insumos, armazenamento, impostos, entre outros. Veja quais os principais pontos para a base do cálculo de custo e como eles devem ser utilizados a seguir.

Some os insumos

Adubos, sementes, defensivos e fertilizantes devem ter seus custos apurados no momento da aplicação, ou seja, quando deixam de ser estoque e passam a incorporar as lavouras. Por exemplo, se você comprou 50 quilos de fertilizantes, mas utilizou 25 quilos na safra, o custo deve ser referente à 50% do total.

Considere a mão de obra

Refere-se à folha de pagamento de colaboradores. Apesar de o salário ser pago mensalmente, o cálculo deve ser feito em cima das horas que foram realmente trabalhadas.

Leve em conta o valor de aquisição de máquinas e instalações

O valor referente à aquisição de maquinário deve ser considerado pelo produtor como um custo de produção agrícola da safra corrente. Nesse caso, somente uma alíquota do total investido em equipamentos e instalações deve fazer parte do cálculo, uma vez que esses itens geram benefícios no decorrer de sua vida útil, assim, somente uma fração deve ser considerada a cada safra.

Ao mesmo tempo, é importante somar seus custos associados, como combustível, peças, manutenção e depreciação.

Acrescente os custos fixos e variáveis

São determinados custos, como energia elétrica, administração, encargos, entre outros, que fazem parte da cadeia produtiva. Da mesma forma que os insumos, esse valor deve ser apurado no momento em que for empregado na lavoura e na proporção em que foi utilizado.

Nesse sentido, o gestor deve compreender que esses valores devem refletir diretamente sua realidade econômica e não devem ser baseados em suas transações financeiras.

Reunir todos os elementos e concluir a apuração para chegar a um valor final sempre é uma tarefa simples, mas que requer bastante atenção. Saber como calcular o custo de produção agrícola é só o primeiro passo. É importante utilizar essas informações para aumentar a eficiência no campo e, assim, obter melhores rendimentos.

Gostou do que leu? Então, aproveite e confira também nosso outro post que trata dos desafios do agricultor!