O Código de barras de produtos está presente em cerca de 80% dos materiais que conhecemos. A pesquisa da Associação Brasileira de Automação também indicou que 91,6% das empresas que possuem códigos de barras consideram que eles são importantes para a venda.

Para garantir a ausência de erros nos processos de entrada e saída de produtos, a criação do código de barras é um processo-chave. Entenda melhor como os códigos de barras de produtos influenciam seu negócio positivamente e descubra como criá-los!

Precisando facilitar suas emissões de nota? Cadastre-se gratuitamente no Emitte e encontre praticidade!

Código de barras de produtos: como funcionam?

Baseando-se em sequências binárias — isto é, com sequências de 1 e 0 — os códigos de barras podem ser lidos por seu equipamento. Desta maneira, as listas representam sequências dos números 0 e 1 que correspondem a um produto específico.

Basicamente, a visualização de barras que possuímos é interpretada pelo computador como um código numérico. Como uma legenda do código EAN, podemos decifrar as sequências da seguinte maneira:

  • 0: espaços das barras com maior reflexão de luz. O computador interpreta as cores brancas como sendo a numeração 0 para o código.
  • 1: os espaços sem reflexão de luz. As faixas brancas do código de barras são interpretadas como sendo o número 1 na sequência em questão.
  • 95: as divisões totais ao longo do código de barras somam 95. Desta maneira, o código possui 95 variações entre 0 e 1 e codifica um produto específico.

A numeração do código de barras e sua leitura

O código de barras dos produtos também acompanha numerações em sua parte inferior. Essas sequências numéricas, por sua vez, representam informações acerca do:

  • Tipo de código. O primeiro número da sequência, 0 — da esquerda para a direita — informa ao leitor que se trata de um código de barras
  • Número do Fabricante. Esta sequência contém 5 dígitos, sendo exclusiva do fabricante do produto em questão.
  • Código do produto. Contém também 5 dígitos e correspondem a uma numeração sequencial referente ao produto em questão.
  • Verificador. Trata-se de somente um dígito.

As divisões do código de barras separam o código em 15 partes. Desta maneira, 3 seções destas divisões são limites nas laterais e uma centralizadora do código. Sobram, portanto, 12 partições que contém, cada, 7 dígitos.

As 12 seções são também divididas em duas, com um agrupamento na esquerda e outro na direita. A divisão é feita desta maneira para que seja possível entender, por exemplo, quando o código está de cabeça para baixo ou invertido.

A máquina consegue identificar, também, se a ordem de numeração está correta a partir das subdivisões. Com o código binário, é possível identificar o produto em questão, além de conferir se a informação está correta a partir do dígito verificador.

Se as informações conferem, o produto é identificado e registrado. Por outro lado, se as informações divergem, o computador exibe a mensagem de erro ou refaz o cálculo.

A importância do código de barras de produtos para empresas comerciais ou industriais

Por identificar e diferenciar cada uma das mercadorias do sistema, o código de barras é uma ótima ferramenta para o controle de estoque.

As organizações podem ter maior visão sobre as entradas e saídas dos produtos, entendendo o que precisa ser substituído ou não.

Há também um maior controle sobre as vendas de determinados produtos. Desta forma, o gestor fica ciente dos materiais que possuem maior giro e pode se programar para o reabastecimento previamente.

Como criar código de barras para produtos — passo a passo

O código de barras de produtos envolve alguns processos burocráticos para o uso e otimização de estoque. Por este motivo, separamos a seguir um passo a passo de como criar os códigos adequadamente e utilizá-los nos processos de venda. Confira:

1. Faça o cadastro da sua empresa na Associação Brasileira de Automação (GS1 Brasil)

O primeiro passo para a criação do código é o cadastro na GS1. Trata-se de uma organização voltada para a padronização de processos empresariais de forma global.

Para realizar o cadastro e solicitar código de barras, basta acessar o site da GS1 e preencher informações sobre sua instituição. É importante ter dados como nome, e-mail e o CNPJ de sua empresa.

2. Conheça os tipos de código de barras

Tendo realizado o cadastro, é importante conhecer as opções de códigos de barras existentes e entender qual melhor se encaixa para sua empresa. Os mais utilizados são:

  1. EAN — mais utilizado para vendas e com leitura mais simples;
  2. Data bar — possui um tamanho reduzido, mas é semelhante ao EAN;
  3. UPC — para o caso de exportações, por ser utilizado nos EUA.

3. Identifique cada tipo de produto

Você perceberá, ao utilizar o código EAN ou Databar e realizar a inscrição na GS1, que sua empresa receberá um código específico.

Além dele, é fundamental desenvolver uma numeração para cada um dos seus produtos, de acordo com seu tipo. Assim, utilize o GTIN como base para codificar as diversas categorias e características dos seus produtos.

4. Atribua a sequência numérica acima ou abaixo do código de barras

A sequência numérica do código de barras precisa ser inserida nas embalagens junto com o código. Assim, caso ocorra algum dano à visualização das barras, será possível identificar o produto a partir do código numérico inserido.

5. Siga as instruções de tamanho e cor do código de barras

As dimensões do código de barras de produtos precisam ser consistentes. Na utilização do EAN, por exemplo, é necessário seguir as seguintes regras para a inserção do código nos produtos:

  • dimensões de 37,3 mm x 25,9 mm;
  • caso deseje aumentar o tamanho, a medida máxima é de 200%;
  • para diminuir as dimensões, a medida mínima é de 80%;
  • as proporções entre altura e largura precisam ser mantidas;
  • manter o fundo mais claro que as barras (preferencialmente fundo branco e barras pretas);
  • manter a sequência numérica mais escura que o fundo;
  • evitar a cor vermelha, já que pode entrar em conflito com o escaneador.

6. Siga os padrões estabelecidos para impressão

No momento da impressão, é fundamental manter os códigos legíveis e escaneáveis. O código de barras de produtos, geralmente, pode ser inserido na embalagem de forma direta, ou como etiqueta.

7. Determine a posição do código de barras no produto

Por fim, avalie o melhor local para a inserção do código de barras. Caso insira como uma etiqueta, lembre-se de não omitir informações importantes do produto e facilitar o acesso do escaneador ao código.

Se optar pelo código de barras diretamente na embalagem, é importante atentar-se ao fundo. Inserir o código por cima de estampas pode prejudicar a legibilidade das informações. Opte por espaços em branco.

Quer otimizar o tempo para a emissão de notas de sua empresa? Junte-se ao Emitte e simplifique seus processos!

Conclusão

O código de barras de produtos pode facilitar processos internos de logística da sua empresa. Para isso, é importante considerar o nicho de negócio, uma vez que o modelo EAN se encaixa muito bem para o varejo.

A posição do código na embalagem do material também pode fazer a diferença na movimentação dos produtos no caixa. Ser estratégico e escolher a melhor posição, portanto, pode influenciar nos processos de tempo deste registro.

emitte-testePowered by Rock Convert